Normas

Da Paraíba para o mundo, com amor:

Todo o material publicado nesta página representa o ponto de vista parcial e preconceituoso de um indivíduo do século passado. Se você achar aqui afirmativas que lhe pareçam sexistas, xenófobas, racistas ou, de qualquer outra maneira, ofensivas a seus pontos de vista, pare de ler imediatamente. Ou prossiga, a seu próprio risco. Ou não.

Use antes de agitar: leia as normas do blog e lembre-se: comentários são moderados. Anônimos não serão publicados.

E aproveite que eu sou professor: se você achar que eu posso ajudar, mande um e-mail para mrteeth@ghersel.com.br

quarta-feira, 31 de janeiro de 2007

Baixaria

Será que nunca faremos se não confirmar
A incompetência da América Católica
Que sempre precisará de ridículos tiranos?
Caetano (Podres poderes)

Outro dia um imbecil que mora lá no "tio sam" fez uma pataquada, típica de programa do ratinho, com a bandeira do Brasil. Ele xingou, esbravejou e, no final, jogou a bandeira no chão e mijou em cima. Ora, todo mundo sabe que brasileiro não é bem visto em lugar nenhum, principalmente em país rico. Quando chega a horda de turistas brasileiros, os gringos correm para esconder as coisas de valor.

Só que agora algum imbecil brasileiro resolveu pagar a baixaria com a mesma moeda. Adivinha: um jornalista carioca. Porque será que isso não me surpreende? Os cariocas juram que o Brasil termina ali, nas fronteiras do Rio. O resto é resto. ELES são brasileiros e, como tal, têm que tomar as dores do sacrossanto pavilhão da pátria, mesmo que seja pra fazer papel de palhaço pro resto do mundo. Como se isso fosse novidade.

Será possível que nós seremos sempre sujeitos à visão terceiro-mundista de meia dúzia de jornalistazinhos que se julgam no direito de tomar as dores da pátria? Nunca vamos crescer? Seremos sempre o país do ratinho, das bananas e das piadas? Parece que sim: enquanto deputados discutem seus aumentos, bandidos assaltam alegremente os turistas lá em jacarepaguá, e todo mundo acha que o brasil é ali mesmo.

Pois o cara quer mijar na bandeira dos EUA em frente ao consulado. Eu, se fosse chefe da polícia, mandava prender, enquadrar e dar uma surra no cidadão, que é pra mostrar que, se lá eles não têm vergonha na cara, aqui não se pode mijar impunemente em praça pública.

Um comentário:

Arnaldo disse...

Sou paulista e por isso mesmo não tenho nenhuma procuração pra defender os cariocas. Mas, depois de viajar muito e conhecer todo tipo de povo, aprendi que em todo lugar tem gente babaca e em todo lugar tem gente interessante. É uma grande bobagem ficar rotulando as pessoas. É besteira falar que OS CARIOCAS SÃO ASSIM, ou que OS ARGENTINOS SÃO ASSADO. Na verdade, a espécie humana é tão diversa (ainda bem) que em todo lugar se encontra de tudo.

Não é por aí.