Normas

Da Paraíba para o mundo, com amor:

Todo o material publicado nesta página representa o ponto de vista parcial e preconceituoso de um indivíduo do século passado. Se você achar aqui afirmativas que lhe pareçam sexistas, xenófobas, racistas ou, de qualquer outra maneira, ofensivas a seus pontos de vista, pare de ler imediatamente. Ou prossiga, a seu próprio risco. Ou não.

Use antes de agitar: leia as normas do blog e lembre-se: comentários são moderados. Anônimos não serão publicados.

E aproveite que eu sou professor: se você achar que eu posso ajudar, mande um e-mail para mrteeth@ghersel.com.br

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Bem acompanhado

Sim, sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz
Rita Lee (Balada do louco)

Nem sei mais quantas vezes eu já argumentei aqui que tratamento odontológico baratinho sai caro. Aliás, tudo na vida é assim, não existe almoço grátis, se você se dispõe a pagar mais por um produto ou serviço, a probabilidade de ele ser melhor do que o baratinho é enorme. É claro que preço alto não é garantia de qualidade, mas que ajuda, ajuda.

Eu fico muito feliz por ver que não sou o único que pensa assim, que outros colegas vêem que a formação profissional, o investimento em conhecimento técnico-científico e a aquisição de equipamento e material de boa qualidade são importantes para um tratamento bem feito. Um artigo no Jornal do Site Odonto explica essas coisas, tratando da implantodontia. É a mais pura verdade, um profissional bem formado, que estudou a vida toda, que investiu em sua formação, que utiliza material de boa qualidade e o equipamento correto, não trabalha por um preço baratinho. É preciso ter retorno no investimento, afinal de contas, dentista não vive de brisa. Há uma idéia generalizada de que dentista tem que trabalhar baratinho ou até de graça! Porque é que não se pede que médicos trabalhem de graça? Ou vendedores? Ou pecuaristas, agricultores, pedreiros, garis, técnicos em informática...

Parece que acham que dentista e músico tem que trabalhar de graça. O pior é que eu sou as duas coisas.

Um comentário:

KeLviN disse...

Depois de tanto sacrifício, estudo, livros caros, pós-graduação, mais do justo cobrar o preço jusTO. Infelizmente, se o paciente não pode pagar vc é que não pode baixar o preço por conveniência ou para não perder o cliente. Acho que tem mercado para todos os preços.Lógico que se se paga mais exige-se mais, tanto no serviço oferecido quanto no material/ equipamento usado.
Grande abraço Mr Teeth!