Normas

Da Paraíba para o mundo, com amor:

Todo o material publicado nesta página representa o ponto de vista parcial e preconceituoso de um indivíduo do século passado. Se você achar aqui afirmativas que lhe pareçam sexistas, xenófobas, racistas ou, de qualquer outra maneira, ofensivas a seus pontos de vista, pare de ler imediatamente. Ou prossiga, a seu próprio risco. Ou não.

Use antes de agitar: leia as normas do blog e lembre-se: comentários são moderados. Anônimos não serão publicados.

E aproveite que eu sou professor: se você achar que eu posso ajudar, mande um e-mail para mrteeth@ghersel.com.br

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Sem cigarro

E a gente vai fumando que, também, sem um cigarro
Ninguém segura esse rojão
Chico Buarque (Meu caro amigo)




Eu cresci na casa de um fumante. Meu pai só parou de fumar quando teve diagnosticado um câncer de garganta. Na verdade ele nem parou de fumar, removeu o tumor cirurgicamente e continua fumando escondido. Mas isso é outra história, cada um morre como quer.

Enfim, eu sempre detestei cigarro. Detesto o cheiro - acho pior do que cheiro de esgoto, e por esgoto entenda o conteúdo deste - detesto a fumaça e a atitude das pessoas que fumam, como se fossem donas do mundo. O cigarro incomoda, sim. Eu também faço várias coisas que poderiam incomodar outras pessoas, mas procuro fazê-las escondido. Procuro fazê-las sem incomodar ninguém. Eu acho que fumar é coisa de gente ignorante, é uma coisa completamente anacrônica, fora de moda, burra mesmo. Vai contra tudo o que a gente aprende, tratar bem o corpo* e a mente, respeitar os outros e a natureza, lutar contra a poluição e o aquecimento global.

Hoje leio que a Aliança de Controle do Tabagismo, juntamente com as secretarias de saúde do município e do estado de São Paulo trabalham para que aquele estado tenha ambientes 100% livres de fumo. A notícia vem do Jornal do Site Odonto, e me deixa morrendo de inveja. Como eu queria que aqui em Mato Grosso do Sul, o Estado do Pantanal, tivesse uma coisa dessas. Será que, se eu entrar em contato com a ACT eu consigo uma sucursal deles por aqui? Ter ambientes livres de fumo é um sonho antigo, que eu gostaria de ver realizado. Restaurantes, bares - mesmo ao ar livre - praças, ruas inteiras, cidades inteiras, em que seria proibido fumar. Seria proibido atentar contra a saúde dos outros. Um belo sonho. Uma utopia.

* Ontem eu estava caminhando no velho parque e vi uma coisa completamente doida. Um cara de camiseta, tênis, bermuda e boné, uniforme preferencial dos corôas safenados que vão até lá caminhar por indicação médica. Até aí, nada demais, mas o cara estava caminhando e FUMANDO!!! NO PARQUE!!!

4 comentários:

maristela disse...

ih, vou inaugurar os comments carregada de vergonha e culpa. eu fumo. parei por 16 anos. ok, ok, só me batendo, mesmo. nãou vou defender direitos, deus me livre. mas te juro que a tal pose de dono do mundo é falsa, é bem o contrário - pura insegurança.

Kelvin disse...

O que mais me desagrada em relação ao fumo é que, por força do vício,alguns fumantes, às vezes, não respeitam nem mesmo locais de alimentação. Quando vou a um restaurante, mesmo ao ar livre, e me deparo, repentinamente com alguém convidando a fumar passivamente seus cigarros. Boa idéia essa de banir o vício das grandes cidades. O pior que este vício me parece ser pior de se abondonar que o do álcool.
[]s Mr Teeth.

Anônimo disse...

É Mr. Teeth, nossas amigas acima têm verdades também. A primeira é que por detraz daquele ar de superioridade está alguém inseguro e que encontrou no cigarro uma válvula de escape, e a segunda é de que este vício, esta dependência a droga (lícita diga-se de passagem) é pior do que a do álcool. É pior, pq é silenciosa, não deixa o indivíduo fazer vechame, brigar,... vai matando e ainda ilude dando a idéia a quem fuma de que é charmoso e sensual. Até quando venderão esta falsa idéia. Enquanto isso não acontece vamos continuar lutando pra ver nossos joves livros do cigarro.

Fernando disse...

Detesto conviver com fumantes, o que acontece em casa e no trabalho. Não consigo chegar perto dessas pessoas devido ao fato de que cheiram igual ou pior do que o dito cujo. Como foi dito, eu também prefiro o cheiro do esgoto, e me sinto igualzinho ao editor da matéria, talvez seja preconceito meu, mas também acho que as pessoas que fumam são burras e ignorantes. Infelizmente, isso prejudica a minha relação com essas pessoas porque evito muita proximidade com elas, simplesmente por rejeição ao cheiro. E vejo que os nossos jovens estão continuando essa tradição secular.