Normas

Da Paraíba para o mundo, com amor:

Todo o material publicado nesta página representa o ponto de vista parcial e preconceituoso de um indivíduo do século passado. Se você achar aqui afirmativas que lhe pareçam sexistas, xenófobas, racistas ou, de qualquer outra maneira, ofensivas a seus pontos de vista, pare de ler imediatamente. Ou prossiga, a seu próprio risco. Ou não.

Use antes de agitar: leia as normas do blog e lembre-se: comentários são moderados. Anônimos não serão publicados.

E aproveite que eu sou professor: se você achar que eu posso ajudar, mande um e-mail para mrteeth@ghersel.com.br

quarta-feira, 9 de maio de 2007

Tristeza

Quem é essa mulher que canta sempre o mesmo arranjo?
Só queria agasalhar meu anjo e deixar seu corpo descansar
Chico Buarque (Angélica)

Soube ontem do falecimento da Profª. Célia Regina Rodrigues. Para quem não conhece, foi uma das maiores expressões da Odontopediatria brasileira, professora da USP, cientista e um ser humano maravilhoso. Infelizmente ela não sabia dizer 'não', e por isso trabalhava mais do que podia. Mais do que devia. Não sei sua idade, mas sei que era mais nova do que eu, filhos ainda adolescentes.

Deixo aqui registrada minha falta de tato para lidar com perdas assim, pois ela foi orientadora da tese de doutorado da minha mulher, então eu a conheci como professora, orientadora e cientista. E fui aluno do marido dela, o Prof. Leonardo Rodrigues, por quem também tenho grande admiração.

Vá em paz, Célia, temos certeza que você está bem e que olhará por nós.

3 comentários:

Anônimo disse...

mr teeth, ela era muito nova, tinha apenas 44 anos...os filhos tambem sao novos (a menina tem 10 e o menino 16)
muito triste

Nana disse...

Faz tempo que vc não escreve hein... o que será que anda aprontando? rs
fale mais sobre a nossa profissão... como foi sua vida de recém formado?

Márcia disse...

Desculpe a invasão, estava procurando notícias sobre o falecimento da Prof.Célia e encontrei seu blog . Fiquei sabendo por uma amiga que ouviu em um curso lá na FO Bauru , mas as informações estavam meio atrapalhadas ... É realmente mto triste ; quem a conheceu chora por não tê-la mais e quem não teve a oportunidade, infelizmente deixará de estar com uma profissinal excelente mas com uma humildade que pouco se vê - ainda mais naquele departamento. A Célia foi minha prof. na graduação e especialização , jamais será esquecida.