Normas

Da Paraíba para o mundo, com amor:

Todo o material publicado nesta página representa o ponto de vista parcial e preconceituoso de um indivíduo do século passado. Se você achar aqui afirmativas que lhe pareçam sexistas, xenófobas, racistas ou, de qualquer outra maneira, ofensivas a seus pontos de vista, pare de ler imediatamente. Ou prossiga, a seu próprio risco. Ou não.

Use antes de agitar: leia as normas do blog e lembre-se: comentários são moderados. Anônimos não serão publicados.

E aproveite que eu sou professor: se você achar que eu posso ajudar, mande um e-mail para mrteeth@ghersel.com.br

sábado, 14 de outubro de 2006

O culpado é o mordomo

E podem mesmo falar mal
Ficar de mal que não faz mal
Carlos Lyra/Vinícius (Você e eu)

Um dos blogs que eu gosto de ler é o "Fogo nas entranhas", e está devidamente listado aí à direita, para quem quiser visitar. Gosto do jeito da moça escrever, inteligente, informal, bom português. Passei uns dias sem ler e, hoje, vi um post dela que me chamou tanto a atenção que resolvi, sem permissão, reproduzir parcialmente. Quem quiser ler tudo, o título é "O dicionário maldito". Abaixo, uma breve explicação e o trecho que eu achei interessante:

"Ambrose Gwinett Bierce ou só Ambrose Bierce (1842-1914), para os íntimos, foi um homem notável: Jornalista, escritor (principalmente de contos de terror) crítico, dramaturgo, poeta e veterano condecorado da Guerra Civil Americana (o que, a meu ver, não o torna notável de modo algum, enfim) era, o que chamamos, alguém “da pá virada” (velha essa, hein?) Uma mistura de Poe, Samuel Johnson, Swift e Wilde americano. ...

... Isso aí em cima foi só uma introdução para dizer que, entre as obras que o tornaram famoso, Bierce foi o criador do Dicionário do Diabo (caraca, eu tô falando demais do capiroto ultimamente, vai dizer? Ui! Vade Retro!) - um apanhado de citações cáusticas e mordazes, algumas simples, mas por isso, perfeitas. Outras são sem graça e outras bem interessantes. Pra você, que como eu, adora um bom sarcasmo e grandes citações. Voilá."


E lá, entre as 'citações cáusticas' do rapaz, não podia faltar uma sobre o monstro, o torturador implacável, o mau-caráter de plantão:

"Dentista - Um mágico que coloca metal em
sua boca e extrai moedas de seu bolso"


Lendo nas entrelinhas: o responsável por você estar mais pobre é ele. Mas, peraí: quando você entrou no consultório, estava amarrado, sendo arrastado contra a sua vontade? Você foi obrigado a ir até lá? Arrancaram seu dinheiro, descontaram direto do seu salário? Ameaçaram de precesso judicial, prisão, tortura e execração pública? Não?!?

Ora, então não reclame e vá curtir sua dor de dente em casa. Não me encha o saco!

2 comentários:

Gabi disse...

Hey, como assim? HAHAHHA

A gente vai forçado ao dentista, claro!!!! Forçado pela dor de dente, oras!

Eu não conheço ninguém (a não ser masoquista e hipocondríaco) que goste de ir ao dentista ou qq espécie de médico...

Ninguém gosta de lidar com a própria perecibilidade...

Beijos

Mr. Teeth disse...

Gabi, caríssima:

Pior é que é verdade... mas sem dentista, quem aguentaria?