Normas

Da Paraíba para o mundo, com amor:

Todo o material publicado nesta página representa o ponto de vista parcial e preconceituoso de um indivíduo do século passado. Se você achar aqui afirmativas que lhe pareçam sexistas, xenófobas, racistas ou, de qualquer outra maneira, ofensivas a seus pontos de vista, pare de ler imediatamente. Ou prossiga, a seu próprio risco. Ou não.

Use antes de agitar: leia as normas do blog e lembre-se: comentários são moderados. Anônimos não serão publicados.

E aproveite que eu sou professor: se você achar que eu posso ajudar, mande um e-mail para mrteeth@ghersel.com.br

domingo, 26 de novembro de 2006

Sobre o café e o refinamento

"Diz que está me esperando pro jantar
E me beija com a boca de café"
Chico Buarque (Cotidiano)

Eu sou mesmo um bronco. Eu adoro café, mas tem que ser forte, quente, pouquíssimo ou nenhum açúcar e em xícara grande. Coisa de gente do interior. Outro dia, andando pelo supermercado, achei um pacote de um café especial, de terras altas, 100% arábica, grãos selecionados e preço compatível, ou seja, três vezes o custo do pacote que eu costumo comprar.

Como eu gosto de novidade e já me acho meio troglodita, levei o danado pra casa e experimentei.

Achei uma porcaria. Aguado, fraco, com uma cor marrom-claro indefinida, cheiro e gosto de café barato. Está guardado, esperando eu ter coragem de jogar fora uma coisa que custou tão caro. Continuo tomando meu velho café comum, do qual eu gosto muito. Na verdade eu não tenho refinamento de paladar suficiente para apreciar essas coisas, sou capaz de gostar mais de vinho Almadém de 10 reais do que de um Romanee Conti de 3.000 dólares. Então eu continuo tomando o Almadém (ou a minha preferida, a cerveja) e deixo os refinados gastar dinheiro com as coisas finas. Eu, que sou bronco, fico com o 'comunzão', que eu gosto e pago preço justo.

2 comentários:

Gaussiana disse...

Na boa, também adoro café e comprei um destes "gourmets" no supermercado. Fiz e não achei grande coisa. Pobre é assim mesmo...

A única coisa chata é que a cor do café sempre acaba "pegando" nos elásticos do meu aparelho (quem mandou usar o estético...). Solução? Colocaram uns "arames" no lugar dos elásticos.

Quando quero um café mais forte, prefiro ir a uma cafeteria e pedir um bom expresso.

obs: parabéns pelo blog (que aliás, achei enquanto pesquisava material referente a ortodontia)

Mr. Teeth disse...

Gaussiana, caríssima:

Para aparelho estético já existem elásticos que não mudam de cor. Infelizmente são importados e a gente não acha aqui no Brasil, porque as empresas não trazem. Não vale a pena, pra elas, porque custa caro e os ortodontistas não compram.